terça-feira, 12 de maio de 2009

Cursos de Montagem e Administração de Redes

Um curso básico de montagem e configuração de redes costuma ter uma carga horária que pode variar entre 80 e 100 horas aula, com um valor médio de R$ 500. Já um curso, também básico, de montagem e administração de redes pode ter uma carga horária de até 140 horas. Apesar da diferença na carga horária os conteúdos programáticos são diferentes em poucos pontos, sendo o segundo mais intenso na instalação e configuração das ferramentas administrativas do windows 2000 server, em redes com estrutura cliente/servidor.

O mundo vive o boom das redes em informática, telefonia, relacionamentos e outras e conhecer como são as estruturas das redes possíveis, como se configura corretamente os computadores e como pode-se gerenciar recursos é um diferencial considerável em um currículo.

Onde há somente um computador, serão necessários outros. Onde há vários computadores é necessário haver uma rede. Onde há uma rede é necessário haver alguém para fazer as manutenções e administrar os recursos. Onde há tudo isso será necessário treinar pessoas para utilizar a rede corretamente. É justamente aí que entra o profissional com conhecimentos de rede e uma boa base técnica.

As fases abaixo descrevem, resumidamente, os passos em um curso básico de montagem e manutenção de redes e espelham conteúdo programático de qualquer curso, em qualquer país.

Conteúdo programático

1º) Os alunos conhecem um pouco da curta e intensa história da microinformática, que se iniciou mesmo lá pela década de 80 (1980);
2º) São apresentadas peças que compõem um computador básico e uma rede de computadores, e quais ferramentas são utilizadas para sua a montagem e manutenção. Cada peça e equipamento são estudados individualmente, para em seguida serem compreendidas da forma como funcionam coletivamente, conectadas umas às outras;
3º) Estudo da lógica do processamento da informação e da engenharia de redes, para que o aluno possa compreender a conexão entre os programas, o computador, as redes e a internet;
4º) Os passos para a montagem correta de uma rede são estudados em teoria, e em seguida praticados. Aprender como identificar peças, como elaborar projetos e como fazer corretamente as atualizações é o ponto forte nesta fase;
5º) Sistemas operacionais e outros aplicativos são instalados no disco rígido. Nesta fase o aluno aprende a dividir logicamente um HD, aprende como formatar e instalar mais de um windows no mesmo HD, como utilizar windows e linux juntos, como configurar placas e como monitorar a rede.
6º) Já sabendo montar a rede, instalar sistemas operacionais e configurar peças, fica bem mais fácil para o aluno diagnosticar problemas, e nesta fase são estudados, também na prática, os problemas mais comuns que uma rede pode apresentar sendo utilizada no uso doméstico ou profissional. Instalação e configuração de antivírus, proteções contra invasões, eliminadores de pragas virtuais, gerenciadores de desempenho, rotinas de bk (cópias de segurança) e monitoramento de usuários são assuntos sempre debatidos.

Superadas estas fases é hora de navegar nos sites de referência, conhecer livros, jornais e revistas de informática e discutir sobre as novas tecnologias em computadores, programas, segurança e redes, finalizando o curso.

Profissionais com um bom currículo em montagem e administração de redes são absorvidos facilmente pelas grandes empresas, que cada vez mais dependem das redes e da internet para se manterem fortes frente à concorrência global.

Conhecimento é poder!

Luiz Loiola

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Cursos de Manutenção de Microcomputador

Distrito Federal, maio 2009

Um curso básico de montagem e manutenção de computadores costuma ter entre 60 e 80 horas/aula, com uma carga diária que varia de 3 a 4 horas. Por ser um curso básico, o ritmo costuma ser bastante intenso e geralmente são exigidos conhecimentos prévios de como usar o sistema operacional windows, 98, XP ou vista. O ideal é que o aluno já tenha participado de algum curso de operador de micro ou que possua um computador de uso pessoal que utiliza diariamente.

Outra informação importante é como deve ser tratada a expectativa frente a um curso como este, porque é comum os alunos cultivarem a idéia de que sairão totalmente prontos para o mercado de trabalho ou com conhecimentos técnicos profundos. Cursos básicos exigem muita dedicação e a compreensão de que ler é essencial em nossas vidas. Um bom comparativo é observar que muitos alunos ficam anos em faculdades de direito, administração ou informática e nem por isso se tornam profissionais em suas área de formação, mesmo tendo investido muito tempo e dinheiro. Um curso básico de manutenção de computadores, com uma média de 60 a 80 horas, costuma ter um valor médio total de R$ 300, geralmente dividido em 2 ou 3 parcelas.

Um curso de manutenção de computadores é composto de algumas fases, que podem apresentar pequenas alterações de uma escola para outra:
1º) os alunos conhecem um pouco da curta e intensa história da microinformática, que se iniciou mesmo lá pela década de 80 (1980);
2º) são apresentadas as peças que compõem um computador básico e as ferramentas utilizadas para sua manutenção. Cada peça é estudada individualmente, para em seguida ser compreendida a forma como funcionam coletivamente, conectadas umas às outras dentro do gabinete;
3º) a lógica do processamento da informação começa a ser vivenciada pelo aluno, para que ele possa compreender a conexão entre os programas e o computador;
4º) os passos para uma desmontagem e montagem corretas de um gabinete são estudados em teoria e em seguida praticados. Aprender como identificar peças, como fazer relatórios de manutenção, como fazer corretamente as atualizações é o ponto forte nesta fase;
5º) sistemas operacionais e outros aplicativos são instalados no disco rígido. Nesta fase, que é a maior, o aluno aprende a particionar - dividir logicamente em vários "pedaços" - um HD, descobre como e quando formatar, como instalar mais de um windows no mesmo HD, como utilizar windows e linux junto, como configurar placas de vídeo/som/modem/rede e como recuperar dados "perdidos". O gosto pela leitura analítica e de consulta é muito importante aqui e facilita o entendimento das ferramentas de busca disponíveis na WEB, até porque sites de suporte são acessados e pesquisados para que o aluno possa ter um referencial pós-curso;
6º) já sabendo montar um computador, instalar sistemas operacionais e configurar peças, fica bem mais fácil para o aluno diagnosticar problemas, e nesta fase são estudados, também na prática, os problemas mais comuns que um microcomputador pode apresentar sendo utilizado por um usuário padrão, em seu uso doméstico ou profissional.

Superadas estas fases é hora de navegar nos sites de referência, conhecer livros, jornais e revistas de informática e discutir sobre as novas tecnologias em computadores, programas e redes, finalizando o curso. O mercado de trabalho é muito generoso com profissionais de informática e só ficam sem emprego ou sem trabalho aqueles que não possuem mesmo o "jeito" para o ramo ou que não tenham a paciência que é exigida para as manutenções e para o contato com a clientela, que, obviamente, só procura um "técnico" quando tem um problema que o estressa e que não consegue resolver sozinho. Na microinformática existem dezenas de opções de profissão que podem ser seguidas, em todos os níveis da sociedade e em todos os lugares, porque a informática estará em todos os lares muito em breve e este é um caminho sem volta.

Com dedicação, empenho, força de vontade e paciência, você, aluno de cursos de manutenção de computadores ou redes, pode mudar todo o rumo da sua vida mesmo em cursos rápidos de até 100 horas aula. Tive meu primeiro contato com a microinformática em meados dos anos 80, hoje sou instrutor de cursos de manutenção de computadores, montagem de redes, Web Design e operador de micro, e posso assegurar que um profissional de TI não sofre as mesmas angustias que assolam a maioria das profissões reconhecidas como comuns. É um ramo onde não há crise nem desemprego para quem sabe trabalhar e tem visão empreendedora.

A vantagem do conhecimento sobre outros "bens" é que este não pode ser tomado, roubado ou destruido. Qualquer pessoa com pelo menos o primeiro grau completo pode dominá-lo, até ter condições de chegar às faculdades, e este conhecimento pode ser usado em qualquer cidade, de qualquer estado, de qualquer país, por ser universal a linguagem da Tecnologia da Informação.

Informação é poder!


Luiz Loiola

Folga off-line garantida?

Fonte:  http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/tf_carreira/2017/09/10/tf_carreira_interna,624717/folga-off-line-garan...